no brasil, homens que tem parceiro sexual também homem não podem doar sangue, a menos que se abstenham de relações sexuais por 12 meses¹. não importa se vovc e seu parceiro são estritamente monogâmicos e/ou se fizeram o teste de HIV. não pode, não pode, não pode. também não podem doar pessoas poliamorosas (ainda que em relações estáveis) ou pessoas que fazem sexo (também?) por dinheiro. nem que seja uma trabalhadora sexual que usa camisinha sempre (inclusive no sexo oral): não pode.

mas por que não pode?

discriminação. ou discriminação estatística. não importa se é científica ou não, é discriminação.

o motivo seria a probabilidade duzentas vezes maior de exposição ao HIV de uma relação homossexual masculina comparada a uma relação sexual heterossexual ou homossexual feminina (dados da frança, pro brasil não achei). outro motivo que costuma ser levantado é o de que o sexo anal tem risco muito maior do que o sexo vaginal de contração de doenças. no brasil e em vários lugares do mundo, dizem os técnicos: “não vejo posição preconceituosa, e sim técnica, baseada em estatística e epidemiologia”.

será mesmo?

é muito difícil separar da ciência as nossas ideologias, os nossos preconceitos, e os nossos vieses. as pessoas homossexuais² são percebidas pela sociedade de uma forma, e todos nós que fazemos parte da sociedade somos afetados pela percepção do grupo de alguma forma. e.g, tem gente que ainda acredita numa causalidade entre homossexualidade e a contaminação com HIV (que não há, embora já tenham tentado fingir que era verdade no passado. além disso, a maior parte das pessoas heterossexuais desconhece as múltiplas práticas afetivas e sexuais das pessoas homossexuais.

“mas claro, porra, eu não sou gay !”, vc pode dizer. mas as pessoas homossexuais conhecem muito bem as práticas das pessoas heterossexuais. elas vivem numa sociedade majoritariamente heterossexual, em que o imaginário amoroso é sobretudo hétero. ou me diz aí o último cartaz de viagem romântica que vc viu que tinha duas pessoas do mesmo sexo? ou um filme romântico em que o casal seja do mesmo sexo, e em que esse não seja o assunto principal do filme? (estou olhando pra vovc que quer voltar sozinho.) é consequência do que chamam pomposamente de heteronormativismo. (não vou nem entrar na questão do monogamonormativismo que o negócio fica mais feio ainda.)

enfim, breaking news: pessoas heterossexuais também praticam sexo anal. segurem os queixos, que tem mais: nem toda pessoa homossexual pratica sexo anal.

mas ainda tem a estatística, eu sei. pessoas homossexuais ou pessoas heterossexuais praticando ou não praticando sexo anal, pessoas homossexuais ainda tem maior probabilidade de ter HIV do que pessoas heterossexuais. sem entrar no mérito de outras variáveis não computadas nos cálculos, lembro que nossa sociedade usa estatística pra muitas coisas, exemplos simples sendo o quanto custa o seguro do carro ou o plano de saúde. mas nem todas essas formas são consideradas legais ou morais. imagine comigo: vc entra no restaurante bufê, e com base na sua idade peso gênero e taxa de glicose no sangue, definem o preço que vovc vai pagar. justo? não sei, mas acho mais justo do que definirem que vc não pode doar sangue por conta da coincidência do seu sexo com a da pessoa com que vc dorme.

mas então, porque é preconceito proibir pessoas que dormem com pessoas do mesmo sexo de doar sangue? se sabemos que não há relação de causalidade entre homossexualidade e HIV e que a homossexualidade é definida em grande parte pela genética³ – ao contrário de fazer uma tatuagem ou de praticar sexo com múltiplas parceiras sem proteção, que são escolhas – acreditar que alguém, pelo fato dessa pessoa ser homossexual, é mais provável de portar o HIV satisfaz a definição de preconceito.

‘pré-conceito’, i.e., julgar uma pessoa com base em conhecimento a priori e incompleto sobre a pessoa em questão. é bom lembrar que para doar sangue é feita uma entrevista da potencial doadora sobre seus hábitos, e que o sangue é testado antes de ser doado.


¹ art. 64, inciso IV, portaria nº158/2016 do Ministério da Saúde ² o termo mais correto seria: as pessoas que são e fazem muitas coisas (que nem eu você o seu vizinho a dilma e o aécio,) mas que, no que diz respeito a esse texto, importa que além serem e fazerem muitas coisas, também beijam transam e amam pessoas do mesmo sexo.
³ já li um texto há muito tempo atrás numa galáxia essa mesmo-aqui em que um cara escrevia (se bem me lembro) que sua homossexualidade era uma escolha, sim, porque ele teve de enfrentar muito preconceito e decidiu mesmo assim manifestar sua homossexualidade. mas que a homossexualidade é largamente afetada por fatores genéticos é a posição da academia. vc pode ver os vídeos do eli vieira e do dráuzio varella sobre o assunto.


uma nota: não sou geneticista, não falo em nome das pessoas homossexuais, não faço políticas públicas na área da saúde. qualquer crítica educada será considerada com todo o amor do mundo.